Home
Home
A Cirurgia de Cabeça e Pescoço
O Cirurgião de Cabeça e Pescoço
O que Tratamos
Exames que Realizamos
Dicionário
Atenção ao Paciente
Prevenção do Câncer
Tabagismo e Câncer
Contato
 
Mais Notícias
Home
 

Doenças das Glândulas Salivares e Tumores


As glândulas salivares produzem saliva para umedecer a boca, para ajudar a proteger os dentes das cáries e para digerir os alimentos. As três principais glândulas salivares são: as glândulas parótidas, as glândulas submandibulares e as glândulas sublinguais. A saliva drena na boca através de pequenos tubos chamados ductos.

- A glândula parótida faz 25% da saliva e drena na boca perto dos dentes superiores.
- A glândula submandibular faz 70% da saliva e drena na boca no assoalho lateralmente.
- A glândula sublingual faz 5% da saliva e drena no assoalho da boca anteriormente.

Além disso entre 600-1000 minúsculas glândulas (as glândulas salivares menores) estão localizados nos lábios, interior da bochecha, e no revestimento da boca e da garganta.

A causa mais comum de problemas nas glândulas salivares ocorre quando os ductos ficam bloqueados e não podem drenar a saliva na cavidade oral.



Problemas com os ductos:

Sialolitíase é uma condição onde se formam pequenos cálculos nas glândulas salivares sendo estes constituídos de cálcio.

Alguns cálculos não causam nenhum sintoma, mas outros podem bloquear os ductos sendo o fluxo de saliva interrompido parcial ou completamente. Com isto a glândula pode aumentar e pode desenvolver uma infecção.

Sialoadenite é uma infecção dolorosa de uma glândula salivar que pode ser causada por bactérias, por cálculos, mas as crianças também podem desenvolver sialoadenite durante as primeiras semanas de vida.

A sialadenite pode tornar-se uma infecção grave se não tratada adequadamente.

As infecções virais como caxumba, gripe, vírus Coxsackie, Echo-vírus e citomegalovírus podem causar aumento do volume das glândulas salivares.

Os cistos podem se desenvolver nas glândulas salivares após lesões, infecções, cálculos, tumores, ou podem ser congênitos.



Tumores

A maioria dos tumores salivares são benignos (não cancerosos), mas eles também podem ser cancerígenos. A glândula parótida é a de maior incidência de tumores.

Adenoma pleomórfico é o tumor mais comum das glândulas salivares. Ele cresce lentamente e é benigno.

Tumor de Warthin é o segundo tumor benigno mais comum das glândulas salivares. É mais comum em homens mais velhos e pode crescer em ambos os lados da face.

Cancerosos (malignos) são tumores raros nas glândulas salivares e geralmente ocorrem entre as idades de 50 a 60. Alguns tipos podem crescer rapidamente e outros são de crescimento lento.



Outras afecções das glândulas salivares

Síndrome de Sjögren é uma doença crônica. Os glóbulos brancos atacam as glândulas produtoras de muco, tais como as glândulas salivares, as glândulas lacrimais e, às vezes as glândulas sudoríparas. As mulheres de meia idade são as mais afetadas. A Síndrome de Sjögren é vista freqüentemente em pessoas que têm artrite reumatóide, lúpus, esclerodermia e polimiosite.

Sialadenose é um aumento indolor da glândula salivar, sem uma causa conhecida. A parótida é geralmente a glândula afetada.



Sintomas presentes nas afecções das glândulas salivares:

Sialolitíase começa geralmente como um nódulo doloroso sob a língua. Os cálculos bloqueiam o fluxo de saliva e isto causa dor durante as refeições.

Sialadenite cria um nódulo doloroso na bochecha ou no pescoço. Pode ocorrer drenagem de pus na boca. A febre pode ocorrer.

Infecções virais generalizadas podem causar febre, dor de cabeça, dores musculares e dores nas articulações em todo o corpo. Se o vírus se instala nas glândulas parótidas, podem ocorrer aumento de volume em ambos os lados da face.

A mucocele se apresenta como cisto no interior do lábio inferior, pode drenar secreção amarelada. Dependendo do volume pode dificultar comer, falar ou engolir.

Os tumores, cancerosos ou não canceroso pode crescer no céu da boca, na bochecha, na língua ou no pescoço. Muitas vezes de evolução lenta e dolorosa.

Síndrome de Sjögren, causa diminuição da quantidade de secreção das glândulas salivares com consequente secura da boca, cáries, feridas na boca, sialolitíase, e infecções recorrentes das glândulas salivares são sintomas possíveis.

Sialadenose geralmente é indolor, mas as glândulas parótida pode ampliar.



Diagnóstico

Seu médico irá perguntar sobre seus sintomas e história médica. Durante o exame físico, o médico irá examinar a sua cabeça, pescoço e parte interna da boca e verificar se há caroços ou áreas de dor.

O médico poderá solicitar exames para auxiliarem no diagnóstico:
Raio-X, Ultrassonografia, Tomografia computadorizada, Ressonância Magnética.

A Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF) é necessária para orientar quanto a benignidade ou não do tumor, porém está não dá o diagnóstico definitivo.

Os testes de função salivar, exames oftalmológicos e exames de sangue para diagnóstico de síndrome de Sjögren serão solicitados.



Causas e Fatores de Risco

A causa exata da formação de cálculos não é conhecida, mas alguns fatores podem contribuir para a condição:
Desidratação, que deixa a saliva mais concentrada;
Diminuição da ingestão de alimentos que reduz a demanda por saliva;
Os anti-histamínicos, medicamentos de pressão arterial, medicamentos; psiquiátricos e outros medicamentos podem diminuir a produção de saliva.

Fatores que aumentam o risco de desenvolver sialoadenites são:
A desidratação, desnutrição, transtornos alimentares
cirurgia recente, doença crônica, câncer, prematuridade
Os anti-histamínicos, diuréticos, medicações psiquiátricas, medicamentos para pressão arterial, barbitúricos
História da síndrome de Sjögren
ocupações (tocar trompete)

Fatores de risco para adenomas pleomórficos incluem:
• A exposição à radiação;
• Fumar

Os fatores de risco para câncer da glândula salivar são:
Síndrome de Sjögren;
Exposição à radiação;
Fumar.



Tratamentos

Os cálculos pequenos podem ser expelidos, sem tratamento. Já outros maiores podem necessitar de intervenção cirúrgica.

Nas infecções bacterianas há necessidade do uso antibióticos e hidratação extra quer por via oral ou intravenosa (IV). Compressas quentes são colocados sobre a glândula infectada. Ingerir alimentos que estimule a secreção da glândula e a cirurgia pode ser necessária para drenar a glândula.

Os antibióticos não ajudam a curar uma infecção viral. O nosso sistema de defesa é quem faz esse trabalho. Aqui é necessário repouso, aumento da ingesta de líquidos e uso de analgésicos para a febre são as melhores maneiras de ajudar o corpo a curar-se.

pequenos cistos pode drenar sem tratamento. Os cistos grandes podem necessitar de cirurgia.

Os tumores benignos geralmente requerem cirurgia para removê-los assim como os tumores malignos. Alguns tumores precisam apenas de cirurgia, outros exigem radioterapia e quimioterapia como complemento.

Medicamentos prescritos ajudam a diminuir o sintoma de boca seca.

Portanto caso sinta alguns dos sintomas citados procure um cirurgião de cabeça e pescoço para ser avaliado.
 

home | a cirurgia | o cirurgião | o que tratamos | exames | novas tecnologias | atenção ao paciente | prevenção do câncer | tabagismo e câncer | notícias | contato

Dr. Almir Penaforte Jr.
Av. Simoa Gomes, 112 - Heliópolis - Garanhuns/PE - CEP: 55295-480
Tel: 87 3761-9074 | Cel: 87 9959-9242

Copyright © Almir de Araújo Penaforte Júnior. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por [CiadaLogo] [Jefferson de Mello] [Trilhas]